Se pudéssemos reduzir a população da terra a uma pequena aldeia de exatamente 100 habitantes, mantendo as proporções existentes atualmente, seria algo assim:

Haveria:

57 asiáticos

21 europeus

04 pessoas do Hemisfério oeste (tanto norte como sul)

08 africanos

52 seriam mulheres

48 homens

70 não seriam brancos

70 não seriam cristãos

30 cristãos

89 heterossexuais

11 homossexuais confessos, 6 pessoas possuiriam 59% da riqueza de toda aldeia e os 06 (6 de 6) seriam norte-americanas.

Das 100 pessoas,

80 viveriam em condições sub-humanas

70 não saberiam ler

50 sofreriam de desnutrição

01 pessoa estaria a ponto de morrer

01 bebê estaria prestes a nascer

Apenas 01 (sim, só 1) teria educação universitária

Nesta aldeia, só uma pessoa possuiria um computador.

Ao analisar nosso mundo dessa perspectiva tão reduzida é quando se faz presente a necessidade de aceitação, entendimento, e educação.

Agora pense…, se você levantou essa manhã com mais saúde do que doenças, então você tem mais sorte que os milhões de pessoas que não sobreviverão nesta semana.

Se você nunca esperou os perigos da guerra, a solidão de estar preso, a agonia de ser torturado ou a aflição da fome, então está melhor do que 500 milhões de pessoas.

Se você pode ir a sua igreja sem medo de ser humilhado, preso, torturado ou morto…, então você é mais afortunado do que 3.000.000.000 (três bilhões) de pessoas no mundo.

Se você tem comida na geladeira, roupa no armário, um teto sobre a sua cabeça e um lugar onde dormir, você é mais rico do que 75% da população mundial.

Se você guarda dinheiro no banco, na carteira e tem algumas moedas em um cofrinho…, já está entre os 8% mais ricos deste mundo.

Se teus pais estão vivos e unidos…, você é uma pessoa rara.

Se você leu esta mensagem, tem melhor sorte que mais de 2.000.000.000 (dois bilhões) de pessoas neste mundo que não sabem, sequer ler.