A ilegitimidade é algo que tem causado confusão e preocupação para gerações de cristãos. Será possível que esta lei do Antigo Testamento se aplica a nossas vidas hoje em dia?

Sabendo que existia ilegitimidade atrás em sua família, a irmã Daulton foi uma pessoa que buscou a resposta a esta pergunta tão difícil. Em novembro de 1960 coube a seu esposo ter uma entrevista com o irmão Branham no escritório de sua casa em Jeffersonville. Também estavam presentes Leo Mercier e Gene Goad, secretários no escritório do Irmão Branham.

De parte de sua esposa, o Irmão Daulton apresentou a pergunta concernente à ilegitimidade. O irmão Branham se dirigiu a Leo Mercier e lhe pediu que escrevesse o que estava por dizer para benefício da Irmã Dalton. Quando terminou de falar, colocou sua assinatura e acrescentou uma nota pessoal ao final.

Aqui se pode apreciar uma cópia da carta original escrita à mão. Abaixo está a tradução desta.

 

12 de novembro de 1960.
 

Irmã Daulton,
 

Sentados aqui a sós com o irmão Branham, Ed e Gene e eu lhe temos escutado explicar o que é um filho bastardo. No Antigo Testamento era uma tipo de nós sob a graça. O irmão Branham disse que todos somos bastardos e que somos trazidos a Deus por Cristo. Devemos ser gerados novamente pela Verdade e pelo novo nascimento. Nosso novo nascimento em Cristo muda tudo. Isso nos muda de ilegítimos a filhos e filhas legítimas de Deus. Em Adão éramos de nascimento hiíbrido. Em Cristo somos de nascimento Verdadeiro.

O irmão Branham põe sua assinatura a esta declaração para você aqui no escritório de sua casa.

 

 

Rev. William Marriom Branham
 

“Não temas irmã Daulton, seu novo nascimento, ou o de qualquer um, corrige tudo!”