A MENOPAUSA

A MENOPAUSA

“Ele com sua mão indicou para a dama que subisse para a plataforma e enquanto ela se aproximava começou a dizer-lhe: ‘Crê você com todo seu coração? ’. De pé, a alguns passos de onde ele estava, ela assentiu ligeiramente com sua cabeça, e com voz débil disse: ‘Sim’. O irmão Branham olhando-a nos olhos começou a descrever sua condição: ‘Você está passando por algo que faz as pessoas temerem, é uma condição nervosa… Simplesmente essa etapa da vida’ ”

A Menopausa

Essa etapa da vida!

 

Por Rebekah Branham

Tenho lido que para cerca de 15% das mulheres, felizmente, a menopausa não tem a maior relevância em suas vidas, bom para elas. No entanto, cerca de 85% de nós, esta etapa pode se tornar de uma leve moléstia para um período totalmente debilitado.

67% de nós está destinada a sofrer calores, que em muitas mulheres se prolongam por 5 anos ou mais, já que nossos níveis hormonais aumentam e baixam a uma freqüência de 6 vezes ao dia [e em alguns casos 6 vezes por hora].

Os sintomas que apresentados são: Mau humor, depressão, melancolia, enjôo, fadiga, taquicardia, suor noturno, insônia, dor nos ombros e nos quadris, perda de memórias e outras coisas mais. Uma real variedade de desafios físicos e psicológicos!

Infelizmente, para algumas mulheres a menopausa significa uma terrível caminhada através de uma extensa e escura passagem, em cujas trevas se ocultam um grupo de demônios que atormentam a mente e escarnecem de um iminente desastre. Cada etapa ameaça a sua vítima que cruzará o limite e, sem poder tomar controle de si mesma, cairá no vazio desconhecido, podendo chegar inclusive a ficar louca.

Na citação em epígrafe, o irmão Branham explica a uma mulher, na linha de oração, que a menopausa é algo que “faz a pessoa temer”. A razão é fácil de ser entendida. Um fato que me chamou a atenção faz algum tempo, foi que hoje em dia as mulheres iniciam sua menopausa 5 (cinco) anos mais cedo do que iniciavam a 30 anos atrás. Na atualidade, 8 (oito) de cada 100 (cem) mulheres começam a experimentar essa etapa antes dos 40 anos. A questão é a seguinte: Se você se encontra na etapa dos 40 anos e ainda não tem nenhum tipo de sintomas, é muito provável que esteja passando por uma etapa denominada “pré-menopausa” [período de preparação para menopausa]. Desta forma, completar todo o ciclo até chegar a etapa pós-menopausa significa para a mulher um tempo entre 7 até 10 anos.

Minha mãe foi uma daquelas mulheres que iniciaram sua menopausa em uma idade mais cedo. Recordo do dia no qual eu ia conhecer o que significava ser uma mulher [razão pela qual eu hoje escrevo este artigo], ela tinha apenas 42 anos e eu apenas 15 anos, uma típica adolescente extrovertida, egoísta e de mau gênio. Lembro-me muito bem de um fato: Que a mamãe, sendo sempre foi muito reservada e de atitudes educadas, começava agora a atuar de maneira “estranha”,facilmente perdia a paciência e freqüentemente ralhava em voz alta para logo terminar chorando. Porém, o mais estranho de tudo era vê-la frequentemente parada diante do refrigerador com a porta do freezer aberta, aparentemente sem motivo algum.

Bem, aquele dia em particular aconteceu um certo choque entre minha insensatez e sua frustração, discutimos e ainda que tenhamos chegado a um acordo, não consigo recordar a causa da discussão. Recordo que isto aconteceu na cozinha e neste momento acreditei que estávamos sós. Qualquer que tenha sido o ponto da discussão, eu pensei que levava vantageme que estava a ponto de sair vitoriosa.

Foi quando de repente papai apareceu no corredor que ia para a cozinha e disse: “Sis” [maneira que lembro como ele me chamava quando era adolescente e que eu preferia mais que o apelido de garotinha Belpy, que costumava ignorar], “posso falar contigo no outro quarto?”, disse-me, e se dirigiu para o seu escritório. Eu olhei para mamãe e ela teve um olhar de alívio refletido em seu rosto naquele momento, o qual foi suficiente para ativar de forma simultânea todos os botões da minha má maneira.

“Está bem”, eu disse, “Tu venceste mamãe” -, enquanto me voltava para seguir ao papai.

“Sempre sou a equivocada e tu sempre tens razão, era isso o que querias ouvir?” – papai já havia desaparecido do corredor e mamãe estava atrás de mim na cozinha, enquanto eu seguia desabafando, entretanto eu seguia murmurando.

“Perdoa-me! Perdoa-me! Perdão por esse viver! Perdão por tudo que tenho feito….!” – Não conseguia ficar calada!

No momento em que alcancei papai no seu escritório ainda estava falando tolices, disse ao papai: “Não é necessário conversarmos”, “Já tenho admitido que estava equivocada…”. Ele levantou a mão interrompendo meu falatório e com um sorriso em seu rosto disse: “A verdade é que a razão é tua”.

Eu quase não podia crer, minha primeira reação foi, “vamos dizer para mamãe!”. Porém ele me indicou com a mão que me sentasse. Papai assentou-se em sua poltrona do escritório e eu fixei meus olhos no seu banquinho de descanso para os pés. Papai se inclinou em direção a mim até que nossos rostos estiveram o mais próximo possível e em voz baixa me disse: “Deixemos que mamãe ganhe e isto será um segredo entre nós dois”.

Bem isso não me alegrou muito, sem dúvida minha olhada demonstrou a ele como me senti naquele momento. Ele disse: “Creio que deveríamos falar agora mesmo sobre algumas coisas que estão acontecendo entre você e mamãe, de maneira que tu possas entender a causa do porquê ambas se sentirem e atuarem desta maneira”.

Hoje tenho 51 anos e tenho passado por essa etapa da vidaque muitas mulheres têm temor. Contudo, graças a essa conversa há 36 anos, não houve temor em mim. Bem! É certo que manifestei sintomas suficientes para incluir-me no grupo das 85% das mulheres que mencionei no princípio deste artigo. Não obstante, creio que minha atitude e maneira de ver as coisas contribuíram para que este período de transição fosse uma etapa relativamente tranqüila da minha vida. Enquanto relato para vocês os principais pontos que papai conversou comigo naquele dia, espero que você também receba uma ajuda emocional que alivie o transcurso desta etapa em sua vida.

É surpreendente o fato de que grande parte do que papai me falou naquela ocasião, somente agora tem sido anunciado como nossas últimas descobertas científicas. Após tantos anos, creio que você me perdoará se talvez não me recordar das exatas palavras que ele falou. Não obstante, em minha mente estão vivas as analogias [comparação de coisas distintas], e certas terminologias [vocábulos próprios da ciência], que papai usou naquela conversa, e é isto que tenho trazido comigo durante toda minha vida. Em continuação deste assunto, relatarei com minhas próprias palavras o que recordo daquela conversa.

Os seres humanos, durante o transcurso de suas vidas, atravessam ciclos. Numa mulher esses ciclos funcionam geralmente tendo por base o número 7 (sete) e correspondem pela maneira em que as fases da lua mudam ao 7º dia, afetando os ritmos reprodutivos de uma mulher e as pulsações hormonais. Por exemplo, por volta dos 7 (sete) anos uma menina, começam a mudar seus dentes, aos 14 anos [começo do 3º ciclo] é o início da menstruação onde ela se transformará em uma mulher capaz de procriar. Aos 21 anos entra na etapa da flor da vida, porém aos 35 começa um ciclo de declive em sua vida. Por volta dos 42 anos [começo do 7º ciclo], o período de reprodução da mulher começa a minguar e por volta dos 49 [o 8º ciclo, tem início um novo começo], o período da menstruação termina e a mulher já não pode ter filhos.

Assim, aos 56 anos ela passa ao novo ciclo, onde se converte em um ser completamente renovado tanto físico, quanto mental e espiritualmente. É durante o 3º ciclo [período da adolescência], e o 7º ciclo [início da menopausa], onde ocorrem as mudanças físicas e químicas mais significativas em nossos organismos. Por tanto, esses ciclos tendem a ser os anos da vida mais incompatíveis no tocante ao aspecto emocional.

A puberdade geralmente é considerada uma etapa na qual se produzem mudanças positivas. Nela, nossos organismos começam a acumular energia [papai repetiu esta palavra muitas vezes durante sua explicação], para enfrentar a gravidez e parto de um bebê. Enquanto somos jovens, pensamos e olhamos para o futuro, nossas responsabilidades não são muitas, e devido ainda as mudanças que experimentamos não nos causarem temor, nossas atitudes muitas vezes são positivas. Os momentos de ansiedades que não podemos explicar; os dias de mal estar físico que temos mensalmente; manchas no rosto, etc. Tudo isto forma parte das “dores do crescimento” as quais aprenderemos a suportar.

É notório que a maioria das pessoas não consideram a menopausa uma etapa positiva do ciclo da vida, as mudanças que ocorrem no organismo de uma mulher podem causar que cada sentimento, impressão, reação, se multiplique milhares de vezes e então, enquanto a mulher alcança um nível crítico em seu ser físico e emocional, satanás se fará presente para tratar de manipular sua mente, e esta é a razão pela qual a menopausa é uma etapa perigosa na vida de uma mulher.

Papai enfatizou que os sintomas físicos são muitos reais, a necessidade que a mamãe tinha de se aproximar do refrigerador me foi explicada desta maneira: Enquanto meu jovem organismo acumulava energia, produzindo uma mudança física que faz subir a temperatura do meu termostato interno [preparando-me para no futuro tornar-me uma incubadora], papai comparou isto com algo que eu conhecia muito bem, a valiosa e inseparável panela de pressão da mamãe. Enquanto eu passava pelo processo de acumulação de vapor que logo necessitaria para dar a luz e ser mãe, ela [mamãe], diferentemente, estava na etapa de esfriamento, já que o tempo de cocção havia terminado, e por certo, todos sabemos o que acontece ao movermo-nos um pouco o calibrador da panela.

Quando mamãe experimentava essas repentinas ondas de calor e se socorria ao refrigerador, simplesmente produzia um pequeno escape de vapor, como se diz: Um escape de pressão. E apesar do incômodo, em realidade era algo positivo para ela! Aprendi que esta moléstia pode durar um longo tempo [já que alguns organismos trabalham mais que outros para manter a pressão interna]. Contudo, uma vez que essas energias vitais liberam-se completamente, voltando ao organismo para ser usado conforme lhe destina sua dona. Nada se perde durante o processo, porém agora ela somente utilizará essas energias para o resto dos anos.

Papai disse: “Quando ela tiver alcançado essa mudança em sua vida, se tornará melhor que nunca”. Perguntei: “Melhor que nunca?” Ele afirmou: “Certamente”.

E esta frase tenho relacionado com a menopausa durante toda minha vida. Melhor que nunca! Estava certa que ao chegar o meu tempo, qualquer coisa que sentisse ou experimentasse seriam sintomas de mudança e não de problemas. A menopausa significava que eu estava a caminho de ser melhor que nunca.

Papai também me falou a respeito do parâmetro psíquico relacionado com a menopausa e a maneira de se conduzir nele. Uma mulher que está atravessando essa mudança terá que enfrentar diariamente um sintoma diferente e que amiúde lhe causa temor. Elas perguntam: “E agora o que me acontecerá?” Geralmente concentram sua atenção em viver a incerteza de cada dia.

Papai me perguntou: “Tens tentado alguma vez andar de bicicleta olhando somente para as rodas?” Ele disse: “Não conseguirias fazê-lo; logo, começarias a cambalear e cairias ou sairias do caminho direto aos arbustos”.

Quantas vezes você crê que sem percebermos causamos mais stress a nossas vidas só em prestar atenção ao “agora”, em vez de olhar “o que estar por vir”. Os médicos sempre falam que o stress aumenta a intensidade dos sintomas físicos; Porém, vocês sabiam que a ciência tem comprovado que as tensões e o stress também intensificam por vezes, as ondas de calor que ocorrem nesta etapa?

Muitas mulheres têm optado por adiar a menopausa com um medicamento chamado, Hormone Replacement Therapy [Suplemento Hormonal], como forma de evitar as moléstias físicas e emocionais desta etapa da vida, porém creio que depois de ler as citações que temos mencionado neste tema você desejará meditar nas decisões já tomadas. Além destas, existem muitas outras maneiras de ajudar a si mesma, das que seu médico conhece e pode está prescrevendo.

Um dos primeiros sintomas que experimentei foi o suor noturno, o que me ocasionava cansaço no dia seguinte, porém depois de ter uma consulta com um naturalista da nossa cidade com larga experiência em produtos naturais, comecei a ingerir doses de um produto chamado, Black Currant Seed Oil [Extrato de Groselha, fruto medicinal]. O resultado foi muito positivo, pois dentro de três semanas as moléstias cessaram.

Certamente que nem todos os organismos têm as mesmas necessidades, porém se você deseja substituir os medicamentos químicos pelos naturais, existem hoje no mercado muitos livros que lhe servirão de guia para que você escolha entre as dezenas de ervas orientais e outros produtos naturais com base de plantas que estão disponíveis.

Lembre-se, a menopausa não é o fim de sua vida, porém a mudança de sua vida e qualquer mudança é um desafio. É possível que essa etapa não seja algo para se rir, contudo não deixe que satanás leve vantagem, mantenha sempre um sorriso em seu rosto, e recorde: Você está no caminho de ser Melhor Que Nunca. Creia nisto!

Fonte: Believers International, 2002.

-->