A CURA DO REI GEORGE VI DO REINO UNIDO

A CURA DO REI GEORGE VI DO REINO UNIDO

O ano era 1950 e o rei George estava enfermo, sofrendo de arteriosclerose múltipla – não sendo capaz de ficar sobre as suas pernas por mais do que cinco minutos de uma só vez. Por meio de seu secretário pessoal ele ouviu falar do ministério do profeta de Deus, William Branham. Seu secretário era um amigo do irmão Walt Amen, um homem de negócios na cidade de Fort Wayne, Indiana, que estava sofrendo de esclerose múltipla. Durante uma reunião em Fort Wayne, no Tabernáculo do Evangelho, uma visão veio sobre o homem e ele ficou perfeitamente sadio.

O secretário pessoal do rei ouviu isso e através dali, o próprio rei George enviou uma palavra para o irmão Branham, requisitando que ele viesse à Inglaterra para oferecer uma oração pessoal por ele. Não sendo capaz de ir à tempo, o irmão Branham enviou uma palavra de volta, expressando seu pesar, mas informando ao rei de que apesar dele não poder ir à Inglaterra, ele oraria por ele e Deus ouviria a sua oração lá da América. “Eu tenho suas declarações e suas cartas com seus selos, para vir orar por ele com esclerose múltipla. E assim eu não poderia ir naquele momento”.

Cópias da correspondência real nos arquivos do irmão Branham revelam que o rei George enviou outro telegrama, requisitando que o irmão Branham viesse à Inglaterra imediatamente. Parecia que Deus tinha tudo planejado de antemão. Deus havia colocado no coração do irmão Branham para ir à Finlândia para ter reuniões. À caminho para Finlândia, o grupo Branham fez escala em Londres para orar pelo rei. Chegando ao aeroporto, o irmão Branham foi chamado para orar pela irmã Florence Nightingale da África do Sul – ela estava morrendo de câncer. Ela já havia contatado o irmão Branham, pedindo-lhe para vir à África para orar por ela; mas ao ouvir de sua escala na Inglaterra, ela voou para lá. Sua cura seria um sinal para o irmão Branham de que Deus desejava que ele fosse à África do Sul para reuniões especiais.

O irmão Branham foi ao hotel e orou por Florence Nightingale e ela foi curada. Portanto Deus tinha grandes coisas reservadas para a África do Sul. Ele então dirigiu-se para o Palácio de Buckingham para orar pelo rei George e ele também foi curado – cumprindo o que o Anjo lhe disse em 1946. Fora-lhe dito que ele oraria por reis e potentados, etc. Após alguns dias na Inglaterra o grupo voou para a Finlândia de passagem por Paris. Na Finlândia foi cumprida a visão de um garotinho sendo levantado dos mortos. Deus tornou todas as coisas perfeitas!

Falando da cura do rei George, o irmão Branham disse: “Quando eu fui à Inglaterra, lá acima para vê-lo, o Senhor lhe havia curado. Ele não podia sequer ficar de pé por mais de cinco minutos de uma vez. E ele, creio que no segundo dia, ele jogou dezoito buracos de golfe. E nunca mais foi incomodado com isso até o dia em que ele morreu. Eu estava na África quando ele morreu. Eles descobriram um pequeno tumor aqui em seu pulmão, e decidiram operá-lo. E o ar que chegou a ele de algum modo, eu não sei, causou um coágulo de sangue que chegou em seu cérebro, e o matou instantaneamente, assim. Um homem muito agradável”.

Rei George ao lado de sua filha Elizabeth II (ambos com a mão direita levantada)
e do Primeiro-Ministro britânico Winston Churchill (com os braços para trás).

-->